Teu nome


Já pensei de tudo
turbinei meus bytes
perdi minha fome
e ainda assim não consigo 
             lembrar teu nome.

A operação de minha memória 
não apagou nenhum dado
apenas o teu nome.

Daqui, dali, como um robô 
a bambolear perdido,
consulto meus arquivos
e nada de lembrar
esse teu nome bandido!

Já me sinto culpado
por apreciar detalhes do teu
                                   corpo
por me apegar ao teu sorriso
tua roupa quilometricamente justa
         e softwaremente sensual.

Já me sinto culpado
por ser digno de tua presença
mesmo que na tela do monitor
numa curtida em tua cara 
de fotoshop no facebook...

Já me sinto culpado
por querer me aventurar 
na conquista
sem ao menos saber 
como te chamar.

Quanto mais penso 
                em você
mais medo tenho
da ciber presença
de um vírus
que te deleta
do meu pendrive.

Clipe