INFÂNCIA TEMPORÃ - Escrito por Teco Poeta Sonhador


Passou a infância.
Depois do parque
do circo e da praça
doamos as roupas
a nossos irmãos.

Como se fosse natural
tomamos vergonha
se estamos nus.

Dia após dia
a alegria recua
até os porões do coração,
e os brinquedos
acenam agitados
de dentro dos baús.

Repetem, repetem
os marmanjos:
- Vamos renovar
nosso estoque de sonhos!

Desfruto, todas as manhãs,
de frutas temporãs.
São meus brinquedos do dia-a-dia
que renovam o estoque de alegria
!

Clipe