Morreu mesmo - Lindolfo Gomes

Um novato foi mandado podar umas árvores. Como não tinha prática nesse serviço e era muito tapado, apoiou a escada num dos galhos e pôs-se a serrá-lo. Passava por ali o vigário da freguesia (o padre da paróquia) e o advertiu:
- Olha, amigo, desse modo vens abaixo!
O moço era, além de estúpido, teimoso. Sem dar maior atenção ao padre, continuou o trabalho.
O padre prosseguiu o seu caminho. Vai por um pouco... Zás! Parte-se o galho e vem ao chão tanto a escada como o podador, que ficou com um dos braços em petição de miséria.
Quando se recuperou, ficou admirado com a adivinhação do padre, e pensou consigo mesmo que, se o padre tinha adivinhado seu tombo, poderia também adivinhar o dia de sua morte. Foi ao encontro do padre e falou-lhe:
- O senhor disse que eu ia cair da árvore e, dito e feito, caí mesmo. Bem que eu queria agora que o senhor adivinhasse o dia da minha morte.
O padre achou aquilo engraçado e resolveu zombar um pouco dele.
- Olha, bem sei quando você vai morrer. Será na hora em que, indo de viagem, montado na sua mula, você a vê soltar três puns seguidos.
O rapaz agradeceu muito e foi-se.
Todas as vezes que viajava, tranquilo na ruana, ia muito atento pra ver quando a mula soltava os tais puns.
Certa feita, ao chegar a uma volta do caminho, a mula preparou-se toda e soltou um, dois, três puns...
O novato, que os havia contado com o coração aos pulos e acreditando na previsão do padre, julgou chegada a sua hora extrema, atirou-se da sela pro chão e soltou um grito:
- Morri!
Não se moveu mais, seguro de que estava morto.
Vai depois, passaram por ali uns trabalhadores que deram com ele estendido no meio do caminho. Crendo-o morto, foram buscar uma rede no vizinho mais próximo, puseram-no dentro dela e o conduziram para sua casa, rezando todo o terço.
Lá muito adiante, obra de uma légua, havia duas encruzilhadas.
Os homens ficaram indecisos: qual delas seria o caminho mais curto para chegar ao cemitério?
Começaram a teimar entre si, até que o defunto ergueu a cabeça do fundo da rede e disse-lhes:
- Olhem, amigos, no tempo que eu era vivo, o caminho mais curto era à esquerda.
Assombrados, os homens atiraram a rede ao chão com o defunto e tudo e fugiram em disparada.
Com a queda o rapaz morreu de verdade.
E a adivinhação do padre foi acertada: o bicho morreu mesmo!

(do livro Contos populares brasileiros, edições Melhoramentos)


Clipe