Três epifanias triviais (I) - Paulo Henriques Britto




Seria trágico se não fosse bobagem.

Seria uma solução se houvesse um problema

possível de resolver. Seria uma imagem

poética se houvesse espaço pra um poema.

Estando as coisas como estão, não é mesmo nada.

O que é uma pena. Pois o gesto em si é belo

como uma ruína, ou uma xícara quebrada.

(Mas não é bem gesto, e sim a intenção de fazê-lo.

É mais a idéia de uma coisa que uma coisa,

apenas um projeto, e a plena convicção

de que mais nada vai acontecer depois,

a consciência de que a pseudo-solução

há de doer a vida inteira na lembrança,

como um castigo injusto imposto a uma criança.)


Clipe